segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Texto que circula em grupos de WhatsApp crítica resultado da negociação com o governo feita pelos coronéis

Onde está Cel. D’Albuquerque e o Cel. Cunha?

imagem: Google

Com todo respeito ao comandante geral da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiro, estávamos esperando dos senhores a representatividade que fora prometido no início da nossa mobilização salarial. 

Foram os senhores que gravaram vídeos com os mesmos roteiros no dia 05/12, (um dia ante do nosso primeiro movimento) onde foi solicitado ao núcleo do governo a revogação da portaria 60/2015, retirando da mesa de negociação as associações e, consequentemente. No entanto, o grande paradoxo estava por vim.

O Estado Democrático de Direito, “venerado” por vocês no vídeo, é interrompido quando os senhores, “amantes da democracia”, determinaram à outros oficiais que os comandados NÃO DEVERIAM COMPARECEM a manifestação.
Ainda neste vídeo, os ilustres comandantes gerais, falam que o processo de melhoria de trabalho e de salário da tropa, seria conduzido pelos respectivos comandos. Que farsa. A tropa (pra eles) se resume aos coronéis que, de fato, foram representados, e conseguiram alcançar seus objetivos. 

Comandantes Gerais, é por esse e outros motivos que nós, praças da corporação, não acreditamos em vossas palavras. O tempo e os exemplos sempre mostraram que água e óleo não se misturam. Os senhores só representam os seus interesses, apenas isso!! Não conseguem se quer dizer NÂO, a um simples técnico do governo (imagina o governo). Não sei como vocês conseguem encarar suas esposas, seus filhos, seus colegas de turmas, seus vizinhos!! É ridículo o que vocês fazem, suas historias são mentirosas, pois na verdade, vocês não têm história, o que têm é uma vida de submissão, sem autonomia, sem decisão, um medo desenfreado de tudo (menos do soldado)!!

Por isso eu digo, sem medo de errar: PREFIRO SER PRAÇA, de preferência SOLDADO. Pois tenho história pra contar. Eu e meu companheiro conseguimos manter a ordem numa cidade de 30, 40 mil habitantes. Eu consigo e, tenho peito de ir as ruas dizer que meu salario está defasado, que preciso de melhores condições de trabalho. Tenho peito para enfrentar, até mesmo, as decisões absurdas e antidemocráticas dos senhores. 

Aos nossos representantes legítimos: Joel da Harpa, ACS (Albérison Carlos Nadelson Leite), ASPRA (José Roberto) e AME (Cap. Assis), continuem nos representado, confiamos em vocês e não nos oficiais.

Força e Honra
Sem Luta Não Há Conquista
Seja Feliz

fonte do texto: WhatsApp e foi enviado ao blog o autor não foi identificado e caso queira que seu nome apareça basta entra em contato pelo email do blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário