terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Retaliação: Policiais da CIOSAC são transferidos da unidade por apoiar a operação policia legal

Policiais policiais transferidos da Ciosac
Foto: WhatsApp
Hoje o sertão fica um pouco mais desprotegido, de forma repentina e sem aviso prévio 123 policiais lotados no BEPI, antiga CIOSAC, a temida tropa de Elite da Caatinga, foram transferidos da unidade especializada em policiamento do sertão por estarem apoiando a operação padrão.

Estes policiais são há muitos anos, a linha de frente contra os grupos criminosos conhecidos como "novo cangaço", o grupamento foi fundado justamente para fazer frente a esses grupos criminosos que aterrorizavam o sertão da década de 90 e conta com policiais extremamente especializados.

E de fato em uma época em que o sertão era terra sem lei, a CIOSAC, cumpriu com sua missão e devolveu a tranquilidade a população sertaneja. Nos últimos meses o grupamento também estava responsável por da apoio as cidades do agreste pernambucano e inclusive foi aberto uma unidade na cidade Santa Cruz do Capibaribe, para melhor policiar o polo de confecções.

Diante do atual quadro de crise na segurança pública, os homens que compõem aquele efetivo mais uma vez não faltaram ao povo pernambucano e com "Força e Honra" preferiram ficar ao lado do povo sertanejo e também aderiram a "Operação Padrão" desencadeada por policiais militares que buscam melhorias nas condições de trabalho da polícia militar.

A notícia das transferências causou revolta entre os praças da polícia militar que veem a medida como forma de retaliação pelo fato dos policiais terem aderido a operação padrão, entretanto, o maior prejudicado com a medida é o povo sertanejo, pois perde homens da mais alta qualificação, pois, o tipo de policiamento realizado pela CIOSAC, exige um nível de qualificação que só se adquiri, após anos de trabalho naquele ambiente.

Entre os transferidos há soldados novos na unidade e soldados fundadores do grupamento, em grupos de WhatsApp de policiais circulam áudios nos quais os policiais relatam ter recebido ligação de um Capitão que lhes questionou se os mesmos optavam em desistir da operação padrão e trabalhar em uma escala "7 dias x 7 dias", ou seja, com serviço extra, caso não aceitassem saíram do Batalhão CIOSAC, todos preferiram sair de cabeça erguida e como diz o grito de guerra dos Guerreiros da Caatinga "SERTÃO".

Abaixo reproduzimos uma texto de despedida de um dos policiais transferidos da CIOSAC.


"Os 123 SAMURAIS

Hoje eu me despeço da CIOSAC. Saio,  porém de cabeça erguida. Retirado do batalhão por homens tão covardes que não tiveram nem a decência de oficializar a transferência, tendo está que ser divulgada no boca a boca e no disse me disse. Saímos todos como homens de palavra e honra.  Homens que mesmo sendo ameaçados e intimidados não recuaram um só centímetro. Pois honra, ética e dignidade vem de berço. Não é forjado em cursos, nem com uma farda diferenciada. 
Aos 123 homens que foram transferidos assim como eu, meu abraço e meu cumprimento e grito de sertão. Aos que ficaram e ainda lutarão e não baixaram a cabeça cumprimento-os da mesma forma. Agora aos covardes, frouxos e submissos, a estes não dou nem sequer um aceno de cabeça.  
Saímos e assim faríamos mais mil vezes. Afinal se não tiveram coragem de brigar ao lado de seus companheiros de farda que estão diariamente ao seu lado apenas por melhorias e completamente dentro da legalidade, como estes conseguiriam te ajudar e te  cobrir diante de um fogo inimigo em um confronto de assalto a banco? 
Agora a CIOSAC deixou de ser a destemida temida. Agora ela está entregue a covardes e submissos. 
Mas como canta a canção 'quem sou eu sem meus irmãos' e vamos agora seguir em frente.

Esta na hora dos praças entenderem de uma vez por todas, a polícia militar é duas polícias em uma,  nobre amigo praça.  A polícia militar e dividida em oficiais e praças.  Eles sempre quiseram essa divisão e tá na hora de nós aceitarmos isso. Vamos deixar eles se apoiarem, e vamos nós praças nos apoiarmos. Seu carro foi tomado de assalto senhor oficial, ligue para seus pares e resolva com eles. Essa deveria ser a nossa atitude. Essa deveria ser atitude dos praças.  Devemos lutar e apoiar e nos arriscar por nossos pares. E não por homens q vivem dos seus egos e de suas patentes. Cometendo arbitrariedades sem pensar que por trás da farda tem um pai de família.  Tem um cidadão de bem. Esta na hora de concretizar a divisão da polícia militar. 
Sertão meus irmãos SAMURAIS. Porque assim como eles, preferimos perder a vida do que perder a honra."

Carta compartilhada no WhatsApp e não consta o nome do autor.

7 comentários:

  1. Lamentável isso!!!
    Parabéns aos guerreiros e que Deus os acompanhe sempre. Pois a jornada continua.Não era para ser desta forma,mas infelizmente não reconhecem o trabalho e garra de vocês. Mas Deus não dorme e esta sempre em busca de suas melhoras. SERTÃO .....

    ResponderExcluir
  2. Lamentável isso!!!
    Parabéns aos guerreiros e que Deus os acompanhe sempre. Pois a jornada continua.Não era para ser desta forma,mas infelizmente não reconhecem o trabalho e garra de vocês. Mas Deus não dorme e esta sempre em busca de suas melhoras. SERTÃO .....

    ResponderExcluir
  3. A estes guerreiros tiro o meu chapéu e reintero com as minhas cinceras palavras: SERTÃO!!!

    ResponderExcluir
  4. A estes guerreiros tiro o meu chapéu e reintero com as minhas cinceras palavras: SERTÃO!!!

    ResponderExcluir
  5. Compartilho com os irmãos de caatinga, não sua perda em ter saído de uma unidade que gostava de trabalhar e fazer parte dela. Mas,da coragem de se manterem firmes em suas palavras e ideais comuns. Honra é um sentimento que muitos falam porém poucos praticam. Parabéns irmãos "Juntos somos fortes".

    ResponderExcluir
  6. Compartilho com os irmãos não a sua perda de ter saído de uma unidade que gostava de trabalhar e fazer parte dela,mas sua coragem de se manterem firmes em sua palavra e seus ideais comuns a todos. Honra é uma palavra fácil de falar, mas,difícil de praticar "Juntos somos fortes".
    Forte abraço a todos e que Deus os abençoe em nome de Jesus.

    ResponderExcluir
  7. Compartilho com os irmãos não a sua perda de ter saído de uma unidade que gostava de trabalhar e fazer parte dela,mas sua coragem de se manterem firmes em sua palavra e seus ideais comuns a todos. Honra é uma palavra fácil de falar, mas,difícil de praticar "Juntos somos fortes".
    Forte abraço a todos e que Deus os abençoe em nome de Jesus.

    ResponderExcluir