quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Deputado Federal Crítica Postura autoritária do Governador Paulo Câmara e sua falta de compromisso com a Segurança de Pernambuco

             

O Deputado federal DANIEL COELHO critica o Governador pela falta de compromisso a Segurança Pública do Estado de Pernambuco e diz que os verdadeiros representante da Policia e do Corpo de Bombeiros é a Associação de Cabos e Soldados nas pessoas da Presidência: Albérisson Carlos e Nadelson Leite.                       O Deputado diz também que os comandantes da PM/BM são cargos de confiança do Governador e lógica nenhuma eles tratarem de assuntos de valorização e melhoria reajuste salarial dos nobres militares.
Assista:

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

E o Pacto Pela Vida? Cidade de Casinhas, Registra Duplo Homicídio

Fotos: WhatsApp

Dois homens foram assassinados na cidade de Casinhas, no agreste Pernambucano no dia de hoje 27 de Dezembro de 2016, nas primeiras horas do dia, os mesmo estavam indo pegar água no açude que serve a comunidade.

Um dos homens é ex presidiário de nome Josué Pessoa Silva Neto, de 29 anos conhecido por "Negão" já teria sido preso na cidade de Olinda por trafego de Drogas.

Com relação a outra vitima de nome Ediclésio da Silva Belquior, conhecido como Deca, não consta até o momento se tinha passagem pela policia.

Os dois foram surpreendidos ao irem buscar água no açude, até o momento não há pistas de quem teria cometido os homicídios e nem a motivação dos crimes os corpos foram encaminhados ao IML de Caruaru.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Crise na Segurança de Pernambuco: De quem é a Culpa?

Sec. Defesa Social; Cmt Geral da PM; Governador Paulo Câmara

A atual crise na segurança pública nada mais é do que o desfecho final de uma disputa de vaidades entre Delegados da Policia Civil e os Coronéis da PM PE, como todos já devem saber a alguns dias os Policiais Civis, que durante quase nove meses realizaram inúmeras operações padrão, conseguiram após muita pressão no Governo do Estado, ter seus pleitos atendidos pelo governador Paulo Câmara, que aceitou reformar o plano de Cargos e Salários da Policia Civil, contemplando Agentes de Policia e Delegados, ou seja, na Polícia Civil todos ganharam, e com isso o salário de um Delegado de polícia civil, chegará a cerca de R$26.000,00 em quanto o salario de um Coronel em final de carreira chega a no máximo R$ 15.000,00 reais.

Este fato despertou nos Coronéis da Polícia Militar, uma especiei de "ciumeira" e os mesmos iniciaram a cerca de dois meses reuniões com o intuito de buscar a equiparação de seus salários com os dos Delegados, entretanto, deixando de fora do processo de negociação os representantes dos "praças" da polícia (Soldados, cabos e Sargentos e Sub - Tenentes).

Diante desse fato e temendo que fossem passados para trás, como em outras ocasiões, os praças da polícia militar, iniciaram junto com suas associações mobilizações, afim de, serem representados nesse processo de negociação.

Entretanto, o governo do Estado apoiado pelos coronéis, tem buscado sufocar as associações dos "praças", inclusive deixando de repassar o valor das mensalidades pagas pelos policiais a estas associações, como também acabou com a mesa permanente de negociação, e a partir de então, se propõe a negociar apenas com os coronéis da Policia Militar.

Desse processo de negociações com os coronéis, uma das tabelas que vazou na internet, mostra que os Coronéis propõe 65% de aumento para se próprio, enquanto que para um soldado eles pedem apenas 22% de aumento, lembrando que atualmente, o salário de um Coronel é de R$ 15.976,08; e passaria a ser de R$ 26.360,53; em contrapartida, o salário de um soldado que é de apenas 2.819,19; passaria a ser de 3.439,18; ou seja, quem mais trabalha na polcia militar teria o menor aumento.

Essa situação os "praças´" consideram inaceitável e tem gerado toda essa crise, pois em virtude dessa atitude abusiva cometida pelo governo, de ter afastado as associações representativas da categoria do processo de negociação, os policiais iniciaram uma especia de operação padrão e só vão as ruas atendidas as condições mínimas exigidas por lei.

Entretanto, o Governador Paulo Câmara, se mantem intransigente e se recusa a negociar com as associações, o que tem agravado a crise de segurança no Estado de Pernambuco.

Crise que pode se agravar ainda mais, pois, a partir de janeiro de 2016, todos os motoristas de viatura da polícia militar que não possuem curso para dirigir veículo de emergência, estão disposto a deixar de exercer tal função, o que pode provocar um verdeiro apagão na polícia militar.

Diante disto podemos concluir que esta crise nada mais é do que o resultado da falta de sensibilidade dos coronéis da Policia militar, que não aceitam ganhar menos que os delegados da polícia civil, mas que ao mesmo tempo, procuram deixar para trás os soldados, que ficariam sem a equiparação com os agentes da polícia civil.

Associações de Cabos e Soldados Apresenta denuncia no Ministério Público contra o Comando da Polícia Militar

Presidente da Associação de Cabos e Soldados apresentou no ministério público de Pernambuco denuncia contra o Comando da Policia Militar em virtude de abuso de autoridade contra policiais que se recusam a vender suas folgas, e trabalhar em jornadas extras conhecidas como Pjes.

Os policiais militares de Pernambuco inciaram um processo de operação legal, no qual trabalham apenas em seus serviços normais, sem aderir a jornadas extras, este procedimento se deu em virtude do Governo do Estado na Pessoa do Governador Paulo Câmara, ter se negado a negociar com as Associações representativas da classe policial, e querer negociar apenas com os comandantes de Batalhão, que são cargos escolhidos pelo próprio governador, ou seja, Paulo Câmara quer negociar com quem lhe deve o cargo comissionado, isso garante que na mesa de negociação só serão tomadas decisões de acordo com a vontade do Governador.

Esta situação não é aceita pelos policiais militares  sobre tudo os praças que não veem com bons olhos o desejo dos Coronéis de lhes representar em virtude de que estes nunca se preocuparam com o bem esta dos praças.

O governo do Estado chegou inclusive a excluir as associações da mesa permanente de negociações com o intuitito de sufocar as associações.
                

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Deputado Jair Bolsonaro Grava vídeo em Apoio Policiais Militares de Pernambuco

O Deputado Jair Bolsonaro e pré candidato a presidente da República, gravou um vídeo em apoio aos policiais e bombeiros militares que estão realizando uma operação dentro da legalidade afim de convencer o governador Paulo Câmara, a negociar melhorias para a segurança pública. 

Os Policiais militares estão a anos trabalhando sem as condições minimas exigidas por lei, no entanto o governador se mostra insensível as necessidades da categoria em virtude disso os policiais decidiram não trabalhar mais alem da jornada normal de serviço.

No vídeo Bolsonaro critica também o autoritarismo de Paulo Câmara que apoiando pelo Comandante Geral da Policia Militar tem buscado perseguir as lideranças da categoria a exemplo do Cabo Alberison da ACS PE.

              

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Joel da Harpa: Quando as Forças Armadas forem embora, o que restará da segurança pública de Pernambuco?

Foto: Internet

Uma cidade sitiada. Milhares de militares do Exército, Marinha e Aeronáutica espalhados pela capital pernambucana com o suposto objetivo de evitar a deterioração da segurança da cidade. O envio das forças de segurança foi solicitado pelo governador de Pernambuco, em resposta a luta dos policiais e bombeiros militares por valorização profissional e melhores condições de trabalho. Não existe greve. 

A operação padrão" (só saem as ruas com todos os equipamentos de segurança em bom estado), o que na prática diminui o número de policiais nas ruas das cidades. É crime trabalhar na legalidade? Na verdade, o pedido de socorro ao Governo Federal é um atestado de que o governo estadual não consegue mais cumprir suas funções na área de segurança pública. Basta ouvir a população para saber que o Pacto pela Vida está falido, não funciona. 

Os órgãos de segurança pública de Pernambuco estão agora sob o comando do General de Brigada Francisco Humberto Montenegro Junior, comandante da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada. O governador se esforça para fazer desse anúncio da presença das Forças Armadas como um fato positivo, a ser comemorado, mas não é preciso ser especialista no assunto para perceber que algo está errado.
Como parlamentar, me preocupa o resultado dessa atitude impensada por parte do Governo do Estado. Afinal, quem está radicalizando? Desde o início, o que as entidades representativas desejam é a retomada das negociações. Há muito a ser discutido. A ampla participação da tropa nas duas assembleias gerais realizadas mostra o tamanho da insatisfação dessa categoria que vem trabalhando no limite do humanamente possível.
O diálogo entre as duas partes é fundamental para a solução do problema que passa pela construção de um novo modelo de Segurança Pública, o resgate da auto estima da tropa com a reestruturação do Pacto pela Vida e um plano salarial condizente com os riscos inerentes à profissão. Coerência, nesse momento, é a palavra de ordem. Não é uma queda de braço. O momento é de união em prol de um projeto maior cujo principal beneficiado será o povo pernambucano. 

Juntos somos fortes!

Deputado Joel da Harpa

domingo, 11 de dezembro de 2016

O governo poderia negociar, porém arisca tudo na estratégia do confronto com policiais militares

O governo poderia negociar, porém arisca tudo na estratégia do confronto com policiais militares. A muitos anos a policia militar de Pernambuco amarga um dos piores salários do Brasil, no entanto, ao mesmo tempo é o motor de força do reconhecido nacionalmente "Pacto Pela Vida", programa de segurança idealizado pelo Ex-Governador, Eduardo Campos, program esse que com o esforço dos policiais militares, conseguiu diminuir de forma significativa os números da violência em Pernambuco.
No entanto, os policiais militares que tanto lutam em prol da sociedade, reclamam da falta de reconhecimento por parte do Governo estadual e cobram melhorias em suas condições de trabalho e renda defasada, já há bastante tempo, sem ter do governo uma posição satisfatória em ralação a estes pleitos, e nem sequer algum tipo de sinalização.
Para piorar a situação, o governo do Estado decidiu de forma unilateral, que a parti de agora só negociará, com os comandantes da policia e dos bombeiros, sem ouvir as lideranças democraticamente eleitas dos policiais, esse foi o estopim da crise. 


E iniciou um período de intranquilidade no efetivo, pois como se sabe os comandantes da PM e BM, são cargos comissionados e devem satisfação ao Governador.

Durante esse processo de mobilização as associações decidiram que os policiais e bombeiros militares, não iram fazer greve, porém não devem mais vender suas folgas, e consequentemente trabalhar apenas em suas devidas escalas. 

O problema é que como boa parte do policiamento é feito com policiais que trabalham nos dias de folga, em jornada extra, a real situação da segurança pública começa a ser exporta aos olhos de todos.

Como forma de mostra força o governo do Estado convocou o Exército, para ajudar na segurança, apostando assim na estratégia do confronto, embora pudesse negociar com as associações de classe policial e sinalizar positivamente, o governo inicia um cabo de guerra onde quem sente as consequência é a população, tendo em vista que caiu a cortina de fumaça que escondia os problemas da Segurança Pública.

Fotos: WhatsApp, reforço do Exercito no Recife e Região Metropolitana

VOU EXPLICAR MAIS OU MENOS O QUE ESTÁ ACONTECENDO NA POLÍCIA.


Policiais entregando desistindo de vender suas folgas ao governo

Os policiais estão lutando por melhorias salariais e condições de trabalho melhores. Para se ter ideia estávamos trabalhando com viaturas sucateadas, pneus carecas, faróis queimados, documentos atrasados. Mas não para por aí, estamos também trabalhando com equipamentos de péssima qualidade, munições velhas, armas com problemas, coletes balísticos vencidos, rádios de comunicações com baterias falhando o tempo todo e por aí vai.... Ou seja só Deus por nós!!

Mas ainda não paramos por aí, também estamos lutando para que o nosso plano de cargo e carreira se concretize, pois acreditem para ser Cabo de polícia tem pessoas que passaram 25 anos, um absurdo isso, não temos perspectiva nenhuma aqui. Então meus amigos é por essas e outras que estamos nessa luta.

*E AGORA PRESTEM MUITA ATENÇÃO NO QUE VOU FALAR ABAIXO:*

Por motivos citados acima não estamos em greve, porém...

Estamos seguindo a operação padrão, e como funciona essa operação padrão?

Da seguinte forma:

- Não estamos mais tirando PJES.

E o que é PJES?

É o plano de jornada de horas extras, ou seja, umas horinhas extras que costumávamos fazer para ganhar um dinheirinho a mais, com isso sacrificávamos nossas folgas e o governo estava dando a impressão que tinha mais policiais nas ruas, quando na verdade não era, pois o mesmo policial que trabalha em um dia é o mesmo que você vê de chapéu Laranja no outro dia, se ligou no chapéu Laranja agora? Pronto!!

- A viatura de polícia só sai agora da seguinte forma:

A viatura tem que estar toda certinha, emplacada, com tudo funcionando e todos os equipamentos.

Tem que ter no minimo 3 policiais, sendo um dos policiais Sargento comandante e todos com os equipamentos necessários para o trabalho, coletes em dia, armas e rádios funcionando perfeitamente bem.

Obs.: Final

- Não temos Viaturas em boas condições.

- Não temos equipamentos de qualidade.

- Não temos Sargentos suficientes para comandar as Guarnições.

E agora?

E agora pedimos que a população que nos apoie, pois essa luta é em prol da sociedade.

Que Deus nos proteja e nos ajude.

Continua firme e forte a OPERAÇÃO PADRÃO

Fonte do Texto: Disponível no WhatsApp, adaptado

Após se liberado de Prisão Abusiva Cabo Alberison Agradece apoio e diz A luta Continua

       

Após ser liberado de prisão arbitraria o Cabo Alberison da ACS PE, agradece o apoio que recebeu e esclarece que foi muito bem tratado pelo efetivo da CIOE, que teve a infeliz missão de conduzir sua prisão.

sábado, 10 de dezembro de 2016

Entre os Grandes: Prisão do Cabo Alberison o coloca entre os Grandes lideres do Movimento de Valorização da Segurança Pública

Imagem do momento da prisão do Cabo Alberison e Nadelson
Mesmo sem ter cometido nenhum crime o Presidente e o vice Presidente, da Associação Pernambucana de Cabos e soldados foi preso durante a realização de uma Assembléia da categoria que reuniu policiais e bombeiros militares de todo o estado, afim de debater a necessidade de se manter a mobilização da categoria, até que o governo reabra a mesa de negociação com os lideres democraticamente eleitos pelos profissionais da segurança publica do estado.

O governo dias antes havia excluído do processo de negociação salarial as associações de classe e decido de forma unilateral conduzir negociações apenas com o Comandante Geral de cada instituição militar no caso " Bombeiros e Policia Militar", lembrando que os Comandantes Gerais são cargos comissionados e de livre escolha do próprio Governador, ou seja, comprometidos com governo e não com a categoria de trabalhadores da segurança.

Ontem dia 09 de Dezembro vai ficar marcado na historia da Policia Militar como sendo o dia em que os Policiais Militares atingiram o auge no processo de amadurecimento de sua luta, por reconhecimento e melhores condições de trabalho, ao realizar um movimento pacifico e ordeiro na praça do Derby, na frente do Comando Geral da Policia Militar e mesmo diante do abuso cometido contra sua principal liderança os policiais souberam manter a calma e deram um exemplo de dignidade, cidadania e respeito as leis.

Mobilização de Policiais Militares de Pernambuco desgasta Imagem do Governador Paulo Câmara



Político vive de imagem e esse desgaste foi desnecessário ao Governador de Pernambuco, o Senhor Paulo Câmara, e infelizmente se reflete diretamente nos pilares da instituição, faltou traquejo político, pois, excluí  as associações representativas dos policiais militares da mesa de negociação e negociar apenas com os "Coronéis" foi um erro.
Tudo transcorria para um fim de ano tranquilo com todos tirando suas cotas de ( serviço extra), "pjes" de forma tranquila, mais ai "pah", o mundo vira de cabeça para baixo, quando se descobriu que os Coronéis da PM, estavam negociando entre quatro paredes com o governo sem a presença das associações representativas e para piorar a situação, numa gesto de força a pedido do comando da policia militar o governo simplesmente acaba com a mesa de negociação e tal atitude foi interpretada pelos policias como um gesto de desaforo e falta de respeito.
Tal situação ocasionou o seguinte quadro, o efetivo revoltado, as falhas da segurança sendo expostas da pior forma possível, policiais se recusado a trabalhar nas folgas para completar o policiamento, se recusando a trabalhar sem as condições mínimas de segurança e legalidade nas viaturas. O que tem causado uma diminuição significativa no policiamento em Pernambuco.

Este momento vivenciado na segurança de Estado é 
Fruto de inabilidade política, mal acessória e vaidade, que acabou com já mencionei no afastamento das associações do processo de negociação em um ato de voluntarismo sem necessidade e para no final volta tudo ao status quo, ou seja, o governo resolveu voltar atrás e  vai negociar com as associações e não apenas com os coronéis que são ocupantes de cargo comissionados e devem satisfação ao Governador.

Só que agora a negociação será feita a sombra de um efetivo mobilizado e atento a todos os movimentos do Governo, e como também revoltado, inclusive desacreditado em alguns comandos, o que é péssimo a uma instituição bicentenária, que com sua postura sóbria tão bem serve a sociedade pernambucana.

Na base do Abuso de Autoridade Coronel Tenta impedir saída de Trio Elétrico durante manifestação democratica

          
Fonte: Canal no youtube: Blogdegsilva

Durante a manifestação realizada no ultimo dia 09 de dezembro na praça do Derby por policiais militares, chamou a atenção de todos o gesto truculento e abusivo de um Coronel da policia militar de Pernambuco, que tentou impedir a saída de um dos trios elétricos que davam suporte a manifestação, que ate aquele momento transcorria de forma pacífica e ordeira, mesmo depois da prisão arbitraria das lideranças Alberison e Nadelson, presidente e vice-presidente da ACS-PE.

Sem qualquer justificativa legal, o referido Coronel, tentou impedir a saída do trio, fato este que gerou revolta e por pouco não acabou em uma confusão sem precedentes, é preciso lembrar que os ânimos já estavam alterados, porém os policiais se mantinha de cabeça fria e dentro da lei, e com a intervenção de lideranças do movimento e advogados o Coronel percebeu a abusividade de sua atitude provocativa e deixou o trio passar.

As lideranças a todo momento pediam calma aos manifestantes que mesmo diante da situação tensa se controlaram, embora tenham de forma contundente demonstrado sua insatisfação com a atitude abusiva, que lembra regimes de exerção. O fato foi contornado sem maiores problemas e trio seguiu na passeata ate o palácio do governo.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Possível prisão do Presidente da ACS PE, causa Revolta nos Policiais Militares de Pernambuco

Fotos: WhatsApp

A possível prisão do Presidente da Associação de cabos e soldados de Pernambuco, que no atual momento está a frente de uma mobilização em defesa da valorização e melhoria nas condições de trabalho dos policiais e bombeiros militares de Pernambuco causa revolta é aumenta a adesão dos policiais ao processo de mobilização dos policiais.

Nessa primeira etapa buscando abrir a mesa de negociação fechada pelo governo do Estado, os polícias estão em operação padrão e se recusando a tirar serviço extra voluntário o chamado pjes, como também exigindo as condições mínimas de segurança e legalidade as viaturas.

Ironicamente o policial que fiscaliza a documentação dos veículos do cidadão, muitas vezes ronda em viaturas sem documentação em dia e sem itens de segurança.

Em virtude de tal situação em alguns batalhões da região metropolitana não saiu se quer uma viatura por falta de documentos e equipamentos de uso obrigatório.

Tal situação agrava a situação da segurança no Estado que vive uma crise sem precedentes, os polícias reclamam que já não há mais de onde tirar forças para manter o esforço de oferecer segurança sem ter por parte do governo um reconhecimento minimo.

Alberison Carlos é o representante legítimo da categoria policial militar, pois foi eleito democraticamente.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Policias Militares de Pernambuco lutando por seus Direitos

Polícias e bombeiros militares de Pernambuco se reúnem em assembleia na praça do Derby, onde também fica o Comando Geral da PM PE, no dia de ontem 06 de dezembro, afim de, debater a pauta de reivindicação salarial e de melhorias nas condições de trabalho dos policiais e bombeiros militares do Estado.

A assembléia é também uma resposta ao governo em virtude de manobras do Estado e dos comandos da Polícia e dos bombeiros militares, que de forma unilateral decidiram excluir as associações de classe policial da mesa de negociação com o governo.

Tal atitude inflamou os ânimos na tropa tendo em vista a posição intransigente do governo fez com que a mobilização alcançou níveis de tensão imensa e por conta disso primeira mobilização após o episódio reuni milhares de Policiais de todo o Estado e a promessa é fortalecer a luta contra por melhorias para a categoria da segurança pública em Pernambuco.

A decisão do governo de excluir as associações representativas da mesa de negociação, foi vista como uma manobra do governo com o intuito de desmobilizar os policiais, o governo informou que passará a negociar apenas com o Comando das instituições, o que é no mínimo um contra senso pois como bem se sabe, os comandantes da policia e dos bombeiros, não mais são nada mais do cargos comissionados e de escolha do governador do estado de Pernambuco, sendo assim os mesmo antes de tudo tem compromisso com o governo que lhe mantém no cargo e recebendo gratificações.

Após a assembléia os policiais saíram em caminhada pela Avenida Conde da Boa Vista, e em direção ao Palácio do Campo das Princesas, onde para a surpresa de todos e em ato de falta de respeito com a categoria não havia ninguém para receber os policiais o que aumentou a revolta dos policiais.

Após uma tensão inicial uma comitiva foi recebida no palácio e entregou a pauta de reivindicações da categoria, em seguida foi deliberado com a tropa o incio de uma operação padrão por parte do efetivo, a medida visa força o governo do Estado a negociar com os policiais. 

Fotos: Genival Silva