sábado, 27 de agosto de 2016

Oficial da Policia Militar de Pernambuco tenta intimidar Policiais no exercício da função.

Um caso inusitado está ganhando repercussão nas mídias sociais, entenda o caso com informações do whatsapp, equipes da ACS/PE, compareceu a Central de Flagrantes da Capital - PE dando apoio a duas respeitadas e atuantes equipes do GATI do 13 BPM que onde foram abusivamente acusadas pelo Major da PM PE, Flávio do 11 BPM de ter efetuado uma abordagem muito enérgica a um grupo de parentes seus em um veículo automotor no Bairro da Torre.

O efetivo que se encontrava sob o comando do atuante Sargento PMPE Raposo sustenta que a abordagem foi de rotina e amparada pela fundada suspeita.

No local, a favor do efetivo do GATI PMPE se fez presente, o Vice Presidente da ACS/PE Nadelson Leite e uma equipe de combativos Advogados. "Não acredito que duas importantes equipes do GATI PMPE foram retiradas das ruas por conta disso num Estado que se tornou para lá de violento como Pernambuco, isso é algo incompreensível e intolerável", disparou o Nadelson Leite, confiram as fotos.
Fotos e Fonte: WhatsApp

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Entidades da Segurança pública Pernambucana não aceitam homenagem a Servilho Paiva

Um dia depois em que diversas entidades de representação da classe foram até o Ministério Público de Pernambuco apresentar denúncia conjunta contra as reiteradas arbitrariedades cometidas pelo Corregedor Geral da SDS, Servilho Paiva, uma publicação feita no Diário Oficial choca os profissionais da segurança pública do estado. Nós, do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL-PE), Associação de Cabos e Soldados (ACS-PE), Associação de Praças dos Policiais E Bombeiros Militares (ASPRA-PE) e o Sindicato dos Agentes Penitenciários (SINDASP), manifestamos nosso profundo desagravo à manobra de Deputados Estaduais governistas que concede a entrega do Título Honorífico de Cidadão Pernambucano ao Corregedor Geral, coincidentemente no mesmo período em que suas perseguições têm sido amplamente repercutidas na imprensa. 

O que nos causa mais estranhamento, sobre o caso, é que o SINPOL e outras entidades chegaram a apresentar diversas denúncias sobre os abusos cometidos por Servilho à Assembleia Legislativa, através da Comissão de Direitos Humanos. Nunca houve, sequer, uma resposta. Outro fato curioso é que o projeto é de autoria de um Delegado de Polícia Civil, Antônio Moraes, e a relatoria feita por um Policial Rodoviário Federal, Eduíno Brito.

Incontestavelmente, eles e todos os outros que construíram ou apoiaram essa “homenagem” estão totalmente desconectados da realidade dos agentes da segurança pública pernambucana, que não aguentam mais estar submetidos à tirania do Corregedor. Essa é mais uma jogada política que não nos representa e mesmo tentando fortalece-lo, não irá evitar a sua exoneração. Os Policiais Civis, Militares, Bombeiros e Agentes Penitenciários de Pernambuco só irão descansar quando a ordem e o Estado Democrático de Direito for reestabelecido na Corregedoria Geral da SDS. Protestamos e repudiamos veementemente a entrega desse título importantíssimo a alguém que não respeita Policiais e corriqueiramente afronta nossa Constituição, entendendo o caso como um deboche da nossa casa legislativa.

Enviado por outros grupos.

Fonte WhatsApp

Caso José Djair de Lucena

O Sr. José Djair de Lucena no dia 23 do mês de Maio de 2015, foi vítima de bandidos, do qual lhe assaltaram e o seqüestraram para roubar a carga que ele transportava, tendo sido jogado no Lixão da Capital paraibana. Ao voltar para Pernambuco, o caminhoneiro foi fazer ocorrência na DEPOL de Abreu e Lima, e neste momento acabou preso pela aquela circunscrição policial e desceu para o Cotel.

No tramite do Inquérito, o Delegado Alberes Félix chegou à conclusão que o Sr. José Djair era inocente e foi vítima da quadrilha de bandidos que praticavam este tipo de delito entre o Estado de Alagoas até a Paraíba, tendo a prisão do caminhoneiro sido relaxada pela juíza da 1ª Vara Criminal de Abreu e Lima, a Dra. Adriana Brandão, no processo nº 0001113-10.2015.8.17.0001.

Pensando que o trauma tinha encerrado naquela ocasião do relaxamento de sua prisão, foi surpreendido, pois já faz mais de um mês que vem sofrendo constrangimentos ao tentar carregar sua carreta nas transportadoras, no qual diz o Sr. Djair que “ocorreram duas vezes aqui em Pernambuco, uma em Igarassu e outra no Recife, e uma vez na cidade de Mossoró/RN, tendo a empresa seguradora Bounny da cidade de São Paulo, vetado os seus carregamentos nas transportadoras, alegando que o mesmo não se encontra com o cadastro adequado e alegando a ele pessoalmente que se trata da situação do caso de Abreu e Lima no qual foi preso”. 

Segundo o Advogado do Sr. José Djair, o bel. Andrey Stephano, “o que a seguradora Bounny está fazendo é um cerceamento ao exercício da profissão do seu cliente, que está elencada no art. 5º, inc. XI da Constituição Federal, bem como está causando constrangimentos demasiados a seu cliente, mas que se encontra tentando resolver administrativamente a situação, mas a empresa citada encontra-se dificultando a resolução desta situação, motivo que pretende acionar a justiça caso não seja o conflito resolvido”.

Verifica-se que, o que ocorre é uma série de violações a direito de um cidadão, pai de família, que quer trabalhar, mas por um erro estatal, ele vem sendo privado de trabalhar por parte de uma empresa em São Paulo, que libera o transporte de cargas das transportadoras em vários Estados. 

                                     


Reportagem: BlogdeGsilva com texto de um colaborador

domingo, 14 de agosto de 2016

Comissão aprova revista obrigatória em eventos fechados com mais de mil pessoas

João Rodrigues: legislação atual não trata especificamente da revista em grandes eventos, cuja segurança deve ser provida de forma preventiva

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou proposta que torna obrigatória a revista aos participantes de eventos fechados em que sejam esperadas mais de mil pessoas.

É o que prevê o Projeto de Lei 4627/16, do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB). A intenção é barrar o acesso de pessoas com armas de fogo, objetos ou sustâncias ilícitas que coloquem em risco a segurança do evento.

Regras
Os promotores do evento serão os responsáveis pela revista, que pode ser feita por meio de pórticos, aparelhos eletrônicos ou revista manual.

A revista manual deverá ser feita por pessoa do mesmo sexo da revistada e não pode empregar tratamento desumano ou degradante, preservando-se a honra, a dignidade e a integridade da pessoa revistada.

Pela proposta, a empresa que descumprir a exigência de controle na entrada poderá ser multada em valores que variam entre R$ 100 mil e R$ 300 mil. Também é prevista a mesma multa se forem realizadas revistas degradantes.

O relator, deputado João Rodrigues (PSD-SC), destacou que a legislação atual não trata especificamente da revista em grandes eventos. “A proposição configura mais uma ferramenta à disposição da sociedade para que a segurança dos eventos seja provida de forma preventiva, para proteção de todos os envolvidos”, defendeu.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Fonte: Agência Câmara

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Muita fila: Após onda de assaltos com explosão em caixas eletrônicos, Surubim vive caos com filas em suas agências bancarias.

Surubim (06 de agosto), a onda de assaltos à banco na região do agreste, tem causado muito transtorno para a população da região, pois como muitas das unidades bancárias foram destruídas em explosão durante os assaltos que sofreram. Um dos reflexos dessa onda de assaltos é que os usuários de toda a região tem migrado em busca de atendimento bancário.

A maior consequência deste movimento é o aumento nas filas bancárias nas unidades de Surubim, que no momento atende as populações das cidades de Casinhas, Vertente do Lério, agora também Machados, Bom Jardim, Orobó, João Alfredo, e inclusive também a cidade de Cumaru.

Todas estas cidades foram vítimas de assaltos à banco e tiveram suas agências destruídas em explosão , algumas inclusive, já expressaram a decisão de não reabrir.

Fotos: Genival Silva

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Bom Jardim: Banco do Brasil foi explodido na madrugada, bandidos fugiram sem ser identificados

Na madrugada desta quarta - feira (03 de Agosto), bandidos explodiram a agência do Banco do Brasil, da cidade de Bom Jardim no agreste Pernambucano, segundo informações não houve feridos n ação criminosa nem tão pouco o banco informou se os bandidos conseguiram levar dinheiro da agência, também não foi informado a quantidade de criminosos na ação que se soma ao histórico de ações desse porte na região.

A polícia Militar compareceu ao local, afim de fazer o isolamento até a chegada da policia científica, até o momento ninguém foi preso ou identificado.
Fotos: WhatsApp